Ecopousada Akanã

Fernando de Noronha

Projeto de Arquitetura para Residência Familiar (Casa do Ilhéu) e Pousada Ecológica na Ilha de Fernando de Noronha

O Projeto busca soluções sustentáveis e tecnologias construtivas apropriadas para a
preservação da Ilha de Fernando de Noronha, em acordo com as Legislações Vigentes e o
Plano de Manejo da Ilha de Fernando de Noronha.

O estudo volumétrico do projeto, com a divisão da pousada em blocos, busca minimizar o
impacto ambiental e visual, com uma ocupação harmônica e consciente em relação
preservação da paisagem natural e topografia existente. Esta ocupação permite ventilação
natural fluida entre os blocos, com ambientes arejados e privativos.

O estudo bioclimático norteou o partido projetual dos edifícios e buscou soluções para
redução de consumo energético e maior conforto térmico dos ambientes (estudo da carta
solar, beirais, ventilação e iluminação natural, paisagismo integrado, materiais termicamente
eficientes, terraço verde entre outras estratégias). 

DESCRITIVO

A durabilidade da obra é fator fundamental a realidade local e será promovida através da
utilização de materiais duráveis, ecológicos e tecnologias apropriadas a Ilha de Fernando de
Noronha. Os materiais deverão ainda garantir conforto térmico e leveza construtiva para
minimizar custos e transportes fluviais.

ESTRUTURAS: As fundações serão de sapatas rasas de Concreto Ciclope, adequadas com
muros de arrimo, estruturando reservatórios de águas enterrados de baixa profundidade, sob
os pisos das edificações. Em outros casos, quando sapatas isoladas, receberão a Estrutura
de Madeira, compondo uma Estrutura Mista de Concreto Armado e Madeira.

PISOS: Todos os pisos internos receberão cerâmica Brennand, ou porcelanato rustico, à
detalhar. Os decks vazados e pisos em madeira serão de madeira certificada e adequada a
serem aplicadas para o uso. Todas as áreas molhadas receberam piso lavável em cerâmica
Brennand antiderrapante ou porcelanato antiderrapante à definir.

PAREDES: As paredes serão com blocos de alvenaria Sical (60x30x10), para redução do
peso da obra e maior conforto térmico dos ambientes. Os rebocos terão vermiculita na sua
composição, para melhorar a eficiência térmicas das paredes. Todas as paredes internas
receberão acabamento emassado com pintura PVA ou acrílica na cor areia ou outras cores 
especificas por ambiente. As paredes externas receberam tinta natural a base de terra na cor
terracota. Nas áreas que compreendem Despensas e Cozinha, receberão revestimento em
porcelanato, lavável até a altura de 1,80m. Nos banheiros haverá revestimento em
porcelanatos apenas no box de banho até 2,50m de altura. Nas paredes dos banheiros
haverá rodapé do mesmo porcelanato do piso com altura igual a 20 centímetros.

COBERTURAS: As edificações serão cobertas com telha americana mesclada resinada,
sobre uma camada de manta de alumínio e forro de madeira certificada. Haverá também
lajes impermeabilizadas com drenagem e cobertura vegetal.

ESQUADRIAS: Todas as esquadrias serão em madeira com vidro 10 mm, nos formatos e
tamanhos representados em projeto.

CAMINHOS EXTERNOS: Decks aéreos (suspensos do solo) e permeáveis em madeira
certificada e piso permeável com placas drenantes de 100cmx100cm, cor platina.

PAISAGISMO: O projeto paisagístico deverá promover camuflagem da obra, valorizar os
acessos, caminhos e privacidade visual entre as hospedagens. As espécies utilizadas no
paisagismo ecológico deverão ser nativas da Ilha ou espécies já introduzidas, valorizando
plantas com histórico de origem local e em acordo com o Plano de Manejo da Ilha.

TECNOLOGIAS SUSTENTAVEIS

CONSUMO DE ÁGUA

O projeto para redução do consumo de água buscou-se priorizar a economia deste recurso
através da reciclagem das águas negra (esgoto com resíduos sólidos e orgânicos) e águas
cinzas (esgoto proveniente de chuveiros, lavatórios, tanques, másquinas de lavar e ralos de
pisos internos), além de fazer a captação e utilização de água pluvial.

A água tratada da rede local, proveniente de açudes e da Usina de dessalinização, será
armazenada para utilização somente em pontos de contato humano direto, como torneiras
de banheiro, cozinha e chuveiro. Todas as coberturas das edificações terão a água pluvial
coletada, tratada devidamente e armazenada, combinando o uso com a água tratada da
rede local, minimizando a sobrecarga do sistema de abastecimento de Fernando de
Noronha.

As águas cinzas serão coletadas e destinadas a uma ETA (estação de tratamento de água
para reuso) e armazenadas para utilização somente em pontos sem contato direto humano,
como descargas de vasos sanitários e torneiras de limpeza.

As águas negras serão coletadas e destinadas a uma ETE (estação de tratamento de
esgoto) e armazenadas para utilização na irrigação do paisagismo, e assim destinadas para
infiltração e evaporação. Esses sistemas de tratamento das águas serão modulares, 
compactos e de alta eficiência, garantindo ausência de odor, economia de espaço, baixo
consumo de energia, simplicidade operacional e processo automatizado.

A redução do consumo total de água tratada prevista no estabelecimento será entre 80% a
90% ao ano, dependendo diretamente do índice pluviométrico anual e da capacidade dos
reservatórios. A localização das estações de tratamento e dos reservatórios serão definidas
nos projetos complementares executivos, mas já são previstos reservatórios sob todas as
edificações que bombearão as águas para duas torres de reservatórios elevados, que
permitirão a distribuição por gravidade. Serão utilizados equipamentos e dispositivos de
redução de consumo de água, como redutores de vazão, torneiras com temporizadores e
vasos sanitários com sistema de economia de água.

CONSUMO DE ENERGIA E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

A redução do consumo energético prevista no projeto utiliza tecnologias sustentáveis e
soluções projetuais para favorecer a eficiência energética da obra. O projeto arquitetônico
promoveu ambientes com ênfase em ventilação cruzada, iluminação natural, beirais
confortáveis, pérgulas e orientação solar apropriada. Estas diretrizes projetuais promovem
ambientes saudáveis e confortáveis termicamente.

Além da redução de consumo, o projeto de economia energética será complementado com
o sistema de geração de energia eólica e solar (fotovoltaica) combinados, conectando mini
geradores ao sistema de distribuição da rede pública. Este sistema será dimensionado para
alimentar a rede pública durante o dia de forma a compensar o consumo noturno, garantindo
que a edificação tenha um superávit energético. Além dos benefícios econômicos, este
sistema de geração de energia permitirá a edificação alimentar a rede pública de energia
elétrica da Ilha.

Serão utilizados equipamentos de energia elétrica de alta eficiência e baixo consumo, como
geladeiras/congeladores e ar-condicionado com sistema inverter, iluminação completamente
em LED e onde possível com sensores de presença, equipamentos eletrônicos inteligentes
que reduzem o tempo de funcionamento e sistemas de automação que permitam o
monitoramento constante.